PA Covid-19 Regional/Irecê não tem mais leitos para casos críticos - ESPINHA DE PEIXE

Breaking

ENTRE NO GRUPO DE NOTÍCIAS!

PARTICIPE DO GRUPO DE NOTÍCIAS BASTA CLICAR NO LINK!

domingo, 12 de julho de 2020

PA Covid-19 Regional/Irecê não tem mais leitos para casos críticos


A situação da região de Irecê em relação à pandemia do novo coronavírus se torna cada vez mais preocupante. Enquanto o PA Covid-19 Regional/Irecê não possui leitos disponíveis para casos críticos, a população acompanha atônita a elevação de casos na principal cidade do território, que teve uma evolução nos últimos 15 dias, superior a 150% em casos positivos, e em diversos outros municípios, onde os números aumentam a cada dia.
Na cidade de Cafarnaum, a população que vinha sendo considerada pelo governo do estado como a que tinha um dos menores índices de registros de casos positivos, viu, em menos de 36h, os casos serem elevados a 300%. Eram 4 até a última quinta-feira (9). Na noite deste sábado (11), já são 18, segundo informações da secretaria de saúde. Todos os casos confirmados nas últimas 36 horas em Cafarnaum são de infecção comunitária, que não permite identificar a fonte contaminadora.

LEITOS LOTADOS EM IRECÊ

“Estamos enfrentando uma situação crítica. O PA Covid Regional está com ocupação máxima dos dois leitos críticos e com ocupação de 33,3% das enfermarias”, informou a coordenadora geral da unidade ‘Silvinha’ Cláudia David, apresentando uma relação de contextos, contendo casos de Lapão e Gentio do Ouro exigindo cuidados intensivos e de duas mães que estão amamentando, um cenário comovente.
Acompanhar diariamente estes espaços, onde profissionais buscam salvar vidas e a cada momento chegando pessoas contaminadas ou notícias dos crescentes casos em diversas localidades, promovem um ambiente de estresse permanente, por conta da sensação de impotência. “Estou aqui a três dias. A cada pessoa que chega, ou que recebe alta, ou mesmo que tem seu quadro clínico agravado e tem de ser regulado para Salvador, são sentimentos que se multiplicam na área de circulação. São rostos que choram por diferentes razões. A angústia é grande”, diz uma professora, irmã de um paciente. Ela falou condicionando à preservação da sua identidade.

*Cultura e Realidade

Nenhum comentário:

Postar um comentário

RADIO VIOLA VIVA